Artigos

Quanto Custa – Parte II

Em nosso último artigo falamos de preço e como fugir das brigas apenas por valores de produtos. Agora vamos abordar de forma mais direta os componentes intangíveis do preço que ajudam as empresas a fugirem destas brigas que reduzem margens e fazem os lucros desaparecerem.

Para que se consiga sair das margens do preço, os valores abstratos devem se sobressair na compra, como por exemplo a segurança do local, o impacto social e afetivo, reconhecimento da marca e a auto realização. Estes itens geralmente são os mais utilizados para agregar ao produto mais valor.

Está estratégia não se aplica somente em produtos de luxo, e sim, em qualquer produto, serviço e marca que começa a ser trabalhada para o mercado e seus públicos de interesse. Por exemplo, uma consulta médica pode variar de preço 1.000%, vai depender da solidez da formação dos profissionais, de sua notoriedade, da segurança que oferece, e até mesmo sua afetividade, reconhecimento e auto realização que este serviço proporciona aos seus pacientes.

Tudo isto é bastante conhecido quando se fala em valores reconhecidos pela marca. Embora todos os produtos estejam atrelados ao atendimento das necessidades de cada cliente, os valores intangíveis devem ser agregados para se trabalhar diferenciais, fugindo assim da briga por preços.

Com estas estratégias definidas, fica mais claro para o setor de marketing desenvolver a comunicação mercadológica capaz de sensibilizar esse mercado e atingir em cheio os seus públicos de interesse.

É importante estar ciente que o preço se baseia não na realidade concreta apenas do produto/serviço e sim, em valores abstratos que possam ser perceptíveis pelo mercado e incorporados a um produto/serviço, ao qual possa estimular as vendas e criar aceitação com os consumidores.

Você está precisando rever sua marca e posicionamento no mercado? Fale conosco, agende uma visita para viabilizarmos seu planejamento de marketing e comunicação, e fuja do “quanto custa?”.

 

Quanto Custa?

Para você que tem um negócio e atende pessoas, a frase pontual da negociação é “Quanto Custa?”, frase que você deve ouvir sempre. E sua resposta, como é?

Podemos dizer que o preço de venda de um produto, de forma tangível e pelo prisma da empresa, é uma resultante do custo de utilização dos seus potenciais, do atendimento de suas necessidades e da realização de usas expectativas. Ou seja, resulta diretamente de seus custos, de sua expectativa de lucro e de suas necessidades de reinvestimento, a fim de permanecer no negócio.

Ou seja, o preço de venda deve ser tal que, ao vender a quantidade projetada, obtém-se uma receita bruta que permita pagar todas as despesas da empresa e proporcionar o lucro desejado.

A variação dos custos hoje em nosso mercado brasileiro é tamanha, pois sempre precisamos estar de olho nas oscilações do mercado para as matérias primas, insumos e mão de obra direta que fazem o preço dos produtos subirem ou descerem.

E é imprescindível estar atendo ao que a concorrência está cobrando por seus produtos e serviços. Este é o indicador mais preciso para se identificar a expectativa de preços do mercado e definir as margens de preço. Quanto maior for a percepção do mercado apenas nos atributos tangíveis do produto, ou do serviço em questão, mais estreita e precisa será a margem praticada pelos diversos concorrentes.

Esta é uma das importantes funções da comunicação, ao qual devem buscar agregar e ressaltar atributos intangíveis, para poder desfazer esse empate técnico da concorrência e alargar a margem de preço de sua empresa. A diferenciação é o segredo para sair da briga de preços.

Quando um cliente perguntar sobre preço, sua equipe deve estar preparada para responder com toda segurança os benefícios, diferenciais e garantias do seu produto/serviço.

Você está precisando rever sua marca e posicionamento no mercado? Fale conosco, agende uma visita para viabilizarmos seu planejamento de marketing e comunicação, e fuja do “quanto custa?”.

O Poder da Marca

A imagem de sua marca forte é fonte de receitas constantes, tendo como causa principal a fidelidade de seus clientes. Toda empresa deveria trabalhar para criar uma preferência dos consumidores por sua marca, ou ainda, criar lealdade com à marca. No entanto nem sempre o gestor da marca dá a devida importância a sua assinatura.

Podemos dizer que existem quatro fases de trabalho em uma marca, ao qual começamos pela identificação da marca, onde o consumidor associa um tipo de produto/serviço a sua marca. Depois disto, vem a aceitação da marca, ao qual o consumidor considera sua marca entre as alternativas a serem consideradas na hora da compra. Na terceira fase vem a preferência da marca, neste estágio o consumidor considera sua marca a melhor para fechar a compra. E na quarta fase, a tão sonhada lealdade da marca, onde o consumidor considera a sua marca a melhor e somente comprará esta marca.

Uma das formas de medir o prestígio de sua marca é avaliar em que medida ela se associa na categoria de produtos/serviços que representa. Quando a marca é a primeira a ser lembrada pelos consumidores em uma dada categoria de produtos/serviços, diz-se que a marca está no topo da mente (Top of mind).

Então para se desenvolver uma marca não pode ficar limitado ao produto/serviço ao consumidor. Ela precisa ter associação, padronização, posicionamento e diferenciação.

Se sua marca não é trabalha com atenção, ela está superficial no mercado, não agregando valor para sua receita. Um bom trabalho de marca deve ser pensado em valor líquido, identidade padronizada, posicionamento, personalidade, caráter e a imagem.

Quando tais propósitos são trabalhados pelo marketing, o consumidor passa a manter com as marcas uma relação mais emocional do que racional, criando uma associação espontânea com a marca e seus produtos/serviços.

Você está precisando rever sua marca e posicionamento no mercado, fale conosco, agende uma visita para viabilizarmos seu planejamento de marketing e comunicação.

Planejar para conquistar.

Um novo ano se aproxima e com ele, novos desafios e metas para sua empresa. É hora de reavaliar estratégias aplicadas e resultados alcançados. Nesta época muitas empresas estruturam o planejamento estratégico para que 2018 comece com todo o vapor.

E é sempre importante mostrar claramente para as equipes onde a empresa deseja chegar com seus objetivos e metas. Quanto mais sua empresa conseguir estruturar o planejamento, mais facilmente poderá cobrar de suas equipes o trabalho qualificado.

A rentabilidade de sua empresa precisa ser pensada e estruturar de uma forma realística, definindo uma segmentação, definindo quais produtos/serviços continuam, quais os lançamentos, como trabalhar focado em seu mercado-alvo e logicamente ter um posicionamento bastante claro.

Com essas definições plenamente estruturadas é possível desenvolver um planejamento estratégico de marketing com base real na obtenção de maiores lucros para a empresa. Toda a comunicação deve ser pensada para falar diretamente com o seu público alvo, ao qual, deve perceber e se identificar com essas diretrizes que fazem com que se torne um diferencial no mercado.

Comece o ano de 2018 com sua empresa estruturada, focando seu planejamento estratégico em buscar resultados mais satisfatórios. Tenha seus esforços minimizados e os seus lucros maximizados.

Precisa reavaliar seus resultados? Fale com nossa equipe da SR Comunicação & Marketing. Desenvolvemos o planejamento de sua empresa com foco, criatividade e com obtenção de metas.

Recupere seus serviços e Resgate os clientes potenciais.

Quando uma empresa fala com seus clientes, algo no relacionamento se rompe, e está criada a lacuna que muitas vezes é difícil de ser reestruturada.

Podemos definir uma falha como um desempenho do serviço que fica abaixo das expectativas dos clientes e que gera automaticamente uma insatisfação. A recuperação do serviço se refere ás ações que foram adotadas pela empresa em resposta ao ocorrido.

Sua empresa pode falhar em um serviço que não está disponí­vel no momento prometido, pode ser executada com atraso, ou muito lento, e até mesmo com erro. E o mais comum, os funcionários foram mal treinados, rudes ou descuidados.

Este tipo de falha desperta sentimentos e reações negativas dos clientes e pode ser de grande impacto para os futuros negócios da empresa.

Hoje com tantos canais nas mídias para falar sobre as experiências vividas, as pessoas ficaram com grande poder, o que exige das empresas atenção redobrada nas falhas.

Pesquisas indicam que 45% dos clientes que vivenciam um problema reclamam com os funcionários que o atenderam. E um número muito pequeno entre 1% e 5% das pessoas, reclamam para a direção da empresa ou o canal de ouvidoria, caso exista.

É importante a empresa ter uma boa estratégia para a recuperação do serviço ao cliente. E também saber captar as informações para a melhoria dos processos. Infelizmente, muitas empresas ainda não adotaram estratégias eficazes de recuperação. Estudos mostram que 60% dos clientes que vivenciam um problema sério não receberam resposta da empresa.

Quando se está preparado para resolver possí­veis problemas com os clientes e principalmente quando a empresa tem por filosofia a preocupação com a satisfação do cliente, a recuperação do problema pode levar ao cliente uma satisfação ainda maior com a empresa em questão.

Vamos desenvolver as estratégias de sua empresa para 2018?

Fale com nossa equipe, a SR Comunicação & Marketing tem uma maneira diferenciada de atender seus clientes de forma individual pensando para o coletivo.

Para empreender temos que discordar.

Quando falamos em empreender em um mercado que não para de crescer, temos que ter em mente a convicção de realizar nossos sonhos, nossas vontades e a persistência de querer realizar algo a mais. Tudo isto fica mais verdadeiro se tivermos colaboradores e lí­deres na empresa que saibam discordar para contribuir com o entusiasmo e a qualidade dos projetos.

É preciso saber analisar nossos possí­veis fracassos caso esses venham a acontecer, e com eles, adquirir um novo aprendizado. A forma mais assertiva de termos isto são com pessoas que não dizem apenas as boas “notícias” da empresa e sim, pessoas que mostram um lado contrário à  ideia gerada, para que todos possam crescer com as informações.

Portanto é importante envolver os colaboradores para que tenham confiança em poder ajudar a empresa, agregando também em más notícias com tolerância e até mesmo sendo encorajados a mostrarem o que está errado na empresa.

Bons líderes aprendem a lidar com os problemas invés de achar culpados. Portanto crie um ambiente de responsabilidade coletiva para que a comunicação interna se torna mais eficiente e mais colaborativa aos empreendimentos da empresa.

Um dos grandes desafios do mercado é a rapidez que esta acontecendo todos os negócios, então para ser empreendedor, não se pode ficar estagnado na zona do conforto. Conquiste pessoas que saibam argumentar, pois criar equipes que somente dizem sim, não será gerado novos conflitos construtivos. E isto pode ser a chave do sucesso ou do fechamento do negócio.

O mundo inteiro precisa de pessoas que consigam ver oportunidades com coragem para ir à diante em seus sonhos e motivar outras pessoas a buscarem seu crescimento, saindo sempre da zona de conforto.

2017 - SR comunicação e marketing