Artigos

5 Atitudes para trabalhar a comunicação institucional.

Empresas que buscam crescer com responsabilidade social precisam ter em seus planejamentos de comunicação, cinco atitudes que farão toda a diferença na hora de criar vínculos com seus públicos de interesse e a comunidade em geral. Vamos falar de 5 atitudes para você mudar sua empresa e fazer seus clientes (externos e internos) se apaixonarem pela sua marca.

1ª Atitude: Consciência – Disseminar na mídia em geral e principalmente as mídias locais informações sobre a importância dos seus serviços e produtos, bem como ações de responsabilidade. Descreva como eles podem oferecer benefício para a vida do consumidores e comunidade.

2ª Atitude: Atenção e Interesse – Cuide da aparência de sua empresa, tanto interna quanto externa. Uma boa fachada e recepção fazem o julgamento inicial do consumidor.

3ª Atitude: Conhecimento e Identificação – Elabore e distribua para os públicos (utilize formadores de opinião do seu segmento) informativo sobre as atividades da sua empresa. Informações como as razões da escolha do local para a construção de sua empresa, a geração de empregos, a contribuição para a sociedade local, incremento da arrecadação de tributos para a cidade, entre outros. Estes informativos podem ser estrategicamente distribuídos em igrejas da região, nos sindicatos, nos clubes, na prefeitura, redes sociais, etc.

4ª Atitude: Expectativas e Ações – Mantenha sempre a comunidade informada sobre a situação das indústrias, as expectativas de crescimento e demais informações que possam criar uma agenda mais positiva para os líderes de opinião. Isto pode ser feito por meio de palestras, mini seminários, visitações na empresa, oferecer cursos de captação, primeiro emprego, contratar pessoas portadoras de alguma deficiência, entre outras.

5ª Atitude: Satisfação, interação e disseminação – Mantenha sempre canais abertos com a comunidade por meio das redes sociais, site, tele atendimento, presencial, patrocínio em eventos locais, entre outros de uma forma a garantir a excelência nestes atendimentos e feedbacks. Incentive de forma criativa os consumidores a buscar uma experiência com sua marca e que esta vivencia seja bastante positiva para que ocorra de forma natural a disseminação destas informações.

Transformar uma empresa boa em excelente é pensar nos mínimos detalhes para que o relacionamento com a marca seja uma experiência surpreendente e não cotidiana. Não importa o tamanho de sua empresa para colocar estas atitudes em prática, basta querer uma comunicação institucional verdadeira.

5 Atitudes para você mudar sua empresa.

Empresas que buscam o crescimento saudável e que são voltadas para a excelência, não se concentraram prioritariamente no que fazer para se tornarem lideres; elas se concentraram igualmente no que não fazer e no que parar de fazer.

Vamos falar de 5 atitudes para você mudar sua empresa e fazer seus clientes perceberem estas mudanças.

1ª Atitude: Tenha um bom planejamento estratégico balizado em informações reais. Aplique as ações projetadas com entusiasmo e cobrança de resultados.

2ª Atitude: Tenha pessoas certas nos locais certos. Treine seu pessoal para serem donos de sua empresa. Tenha líderes invés de gerentes. Não se acomode com pessoas erradas para sua empresa. E principalmente, não tenha medo de mudar. Os funcionários podem ajudar e muito no sucesso ou no fracasso de sua empresa. Cuidar do empenho, motivação e comprometimento das equipes são fundamentais para que a empresa encontre o quanto antes seus resultados. A velha máxima: “as pessoas são o seu ativo mais importante na empresa” está errada.  As pessoas não são o seu ativo mais importante; as pessoas certas é que são.

3ª Atitude: Ter bons parceiros faz toda a diferença. Um bom exemplo são os fornecedores. Nossas compras devem ser as mais assertivas possíveis e com negociações que não nos coloquem em grandes pressões na área financeira.

4ª Atitude: Não despreze um verdadeiro marketing para sua empresa. Este setor está ligado diretamente nos outputs  da organização. São afetados por vários fatores como as mídias em geral, vendas, promocionais, cadeia de distribuição, concorrentes e até mesmo os clientes. Fique atento as suas estratégias de marketing para não perder o foco e nem a padronização da sua comunicação.

5ª Atitude: Esteja aberto para as mudanças. Mudanças no ambiente de sua empresa, de processos, de produtos, de pessoas e até de clientes. Cuide da vida saudável de sua empresa, analisando as oscilações do mercado, imagem, marca, atendimento e todo o ciclo de seu produto/serviço.

Transformar uma empresa boa em excelente é um tanto paradoxal, por isto, a necessidade de sempre estar analisando e recolocando a empresa num caminho com visão de onde se deseja chegar.

O dom de ter a verdadeira informação.

Gastar energia tentando motivar as pessoas é, de modo geral, uma perda de tempo”… (Jim Collins). Está afirmação no livro empresas feitas para vencer, tem como base que se você tem as pessoas certas em cada setor de sua empresa, estas se auto motivarão.

O que você deve pensar quanto a liderança é como não desmotivar sua equipe. A principal regra é não alimentar falsas esperanças no indivíduo.

Crie um clima organizacional em que a verdade prevaleça e que cada colaborador tenha acesso para falar a verdade nua e crua dos acontecimentos da empresa.

É muito comum empresas confundirem a oportunidade de “ter voz” do que a oportunidade de “ser ouvido”. Por isto, é importante criar a cultura interna de que pessoas possam ser ouvidas e assim fazer com que a realidade da empresa prevaleça.

Trabalhando nesta sistemática será muito mais fácil corrigir erros, processos, captar pessoas comprometidas e melhorar de forma contínua e crescente os resultados da empresa.

Seja um líder com perguntas e não com respostas prontas. Tenha humildade para compreender que você não tem todas as respostas e saiba fazer as perguntas que levarão as melhores insights possíveis.

Quando os líderes conseguem se envolver no diálogo e no debate entre setores, a coação desaparece.

Você está precisando rever sua marca e posicionamento no mercado? Fale conosco, agende uma visita para viabilizarmos seu planejamento de marketing e comunicação. Temos o diferencial de lhe ajudar na sua reestruturação organizacional.

O que esperar para sua empresa.

Tenho acompanhado nestes anos de profissão empresas que começam bem, sabendo para onde irão e no decorrer do caminho acabam se perdendo. Isto acontece por inúmeras razões. Pode ser por que deixaram de acreditar em seus mercados ou produtos, foram mal orientados por profissionais que eu chamo de “profissionais do mundo da fantasia ou profissionais teóricos” que quando são obrigados a colocar em prática seus projetos, acabam levando a empresa para situações financeiras perigosas, e tem as empresas que estagnaram e buscam desesperadamente encontrar uma luz que ajude a melhorar a fase que se encontram.

Enfim, o mercado em geral é muito dinâmico, nossas vidas são afetadas diariamente pela economia, política, tecnologia e a informação. Chamo a atenção para o último item, a informação.

Hoje com as redes sociais fazendo parte integral de nossas vidas, vejo administradores e consumidores sendo refém da informação. É tantos dados, tanta comunicação em todos os canais (online e impresso) que muitas empresas já não sabem ou nunca souberam utilizar tudo isto a seu favor.

Vejo muitas empresas de diferentes portes de tamanho com a mesma dificuldade em trabalhar todas estas informações que obtém. Falta tempo, falta pessoas, falta dedicação e orientação. E tudo isto vai sendo empurrado para o futuro.

Não usar corretamente as ferramentas de tecnologia com as informações obtidas é um desperdício de energia e dinheiro para a empresa. E isto faz com que muitas empresas estejam na situação de espera. Lembre-se que a hora certa é o agora. Não perca mais tempo e dedique-se a buscar retorno com sua base de dados.

Você está precisando rever sua marca e posicionamento no mercado? Fale conosco, agende uma visita para viabilizarmos seu planejamento de marketing e comunicação.

Quanto Custa – Parte II

Em nosso último artigo falamos de preço e como fugir das brigas apenas por valores de produtos. Agora vamos abordar de forma mais direta os componentes intangíveis do preço que ajudam as empresas a fugirem destas brigas que reduzem margens e fazem os lucros desaparecerem.

Para que se consiga sair das margens do preço, os valores abstratos devem se sobressair na compra, como por exemplo a segurança do local, o impacto social e afetivo, reconhecimento da marca e a auto realização. Estes itens geralmente são os mais utilizados para agregar ao produto mais valor.

Está estratégia não se aplica somente em produtos de luxo, e sim, em qualquer produto, serviço e marca que começa a ser trabalhada para o mercado e seus públicos de interesse. Por exemplo, uma consulta médica pode variar de preço 1.000%, vai depender da solidez da formação dos profissionais, de sua notoriedade, da segurança que oferece, e até mesmo sua afetividade, reconhecimento e auto realização que este serviço proporciona aos seus pacientes.

Tudo isto é bastante conhecido quando se fala em valores reconhecidos pela marca. Embora todos os produtos estejam atrelados ao atendimento das necessidades de cada cliente, os valores intangíveis devem ser agregados para se trabalhar diferenciais, fugindo assim da briga por preços.

Com estas estratégias definidas, fica mais claro para o setor de marketing desenvolver a comunicação mercadológica capaz de sensibilizar esse mercado e atingir em cheio os seus públicos de interesse.

É importante estar ciente que o preço se baseia não na realidade concreta apenas do produto/serviço e sim, em valores abstratos que possam ser perceptíveis pelo mercado e incorporados a um produto/serviço, ao qual possa estimular as vendas e criar aceitação com os consumidores.

Você está precisando rever sua marca e posicionamento no mercado? Fale conosco, agende uma visita para viabilizarmos seu planejamento de marketing e comunicação, e fuja do “quanto custa?”.

 

Quanto Custa?

Para você que tem um negócio e atende pessoas, a frase pontual da negociação é “Quanto Custa?”, frase que você deve ouvir sempre. E sua resposta, como é?

Podemos dizer que o preço de venda de um produto, de forma tangível e pelo prisma da empresa, é uma resultante do custo de utilização dos seus potenciais, do atendimento de suas necessidades e da realização de usas expectativas. Ou seja, resulta diretamente de seus custos, de sua expectativa de lucro e de suas necessidades de reinvestimento, a fim de permanecer no negócio.

Ou seja, o preço de venda deve ser tal que, ao vender a quantidade projetada, obtém-se uma receita bruta que permita pagar todas as despesas da empresa e proporcionar o lucro desejado.

A variação dos custos hoje em nosso mercado brasileiro é tamanha, pois sempre precisamos estar de olho nas oscilações do mercado para as matérias primas, insumos e mão de obra direta que fazem o preço dos produtos subirem ou descerem.

E é imprescindível estar atendo ao que a concorrência está cobrando por seus produtos e serviços. Este é o indicador mais preciso para se identificar a expectativa de preços do mercado e definir as margens de preço. Quanto maior for a percepção do mercado apenas nos atributos tangíveis do produto, ou do serviço em questão, mais estreita e precisa será a margem praticada pelos diversos concorrentes.

Esta é uma das importantes funções da comunicação, ao qual devem buscar agregar e ressaltar atributos intangíveis, para poder desfazer esse empate técnico da concorrência e alargar a margem de preço de sua empresa. A diferenciação é o segredo para sair da briga de preços.

Quando um cliente perguntar sobre preço, sua equipe deve estar preparada para responder com toda segurança os benefícios, diferenciais e garantias do seu produto/serviço.

Você está precisando rever sua marca e posicionamento no mercado? Fale conosco, agende uma visita para viabilizarmos seu planejamento de marketing e comunicação, e fuja do “quanto custa?”.

2017 - SR comunicação e marketing